Marketing Digital Notícias

2015 será o ano das máquinas!

16/01/2015
dreamstime_xl_10792676

Agora que praticamente todos os computadores estão conectados na internet e as pessoas tornaram as redes sociais uma extensão de suas vidas, este ano de 2015 promete ser o ano que consolidará a chamada “internet das coisas” – termo criado para explicar a conversa entre máquinas, o que já existe no dia a dia, mas que deverá ser exponencialmente ampliado.

Prova disso, foi a compra da Nest pelo Google por US$ 3,2 bilhões. A empresa é conhecida por ser fabricante de termostatos inteligentes, ou seja, se conectam a outros dispositivos para funcionar. Na China, esse mercado de inteligência das máquinas também anda aquecido. Por lá, já existem lâmpadas integradas à internet e que “falam” com outros aparelhos, como TV e utensílios domésticos.

No Brasil, o BNDES já realizou seminários em que indicou ter linhas de investimento para esta área de tecnologia e, em maio de 2014, desonerou aparelhos de internet M2M (máquina-a-máquina). O nome pode não parecer comum, mas são essas conexões que ligam maquininhas de cartão de crédito, por exemplo. Até agosto, já eram 9,2 milhões de aparelhos M2M no país.

Aqui no país, essa internet das coisas já anda acontecendo há algum tempo. A CPFL, por exemplo, usa uma tecnologia que tem como objetivo identificar escoadouros de energia e automatizar a cobrança dos consumidores. Mas deveremos evoluir ainda mais nesta questão quando a expansão da banda larga e a total cobertura das operadoras de celulares for uma realidade em nosso país. A presidente Dilma Rousseff disse que deverá investir na expansão da internet em diversas localidades, pois o Brasil ainda come poeira nesse tipo de discussão se compararmos com os vizinhos Colômbia, Venezuela e Argentina.

Pagamento pelo celular

Uma atividade prática dessa nova internet são pagamentos móveis, realizados totalmente através dos smartphones. Em outubro do ano passado, a Apple colocou para funcionar o Apple Pay, um sistema que paga as contas apenas com a aproximação entre o celular e um terminal de pagamento. Em apenas 72 horas, mais de um milhão de cartões de crédito já estavam registrados só nos EUA. Em breve, o serviço deve chegar na Europa, Índia, Oriente Médio e África.

Os fabricantes concorrentes já estão se mobilizando para fazer o mesmo. A Samsung prepara seu próprio facilitador de pagamentos, enquanto o Walmart lidera um consórcio de varejistas norte-americanos para criar uma ferramenta rival.

Neutralidade na rede

Ainda neste novo ano, existem outras tendências que devem andar lado a lado com essa internet das coisas, como a regulação da neutralidade de rede. Esse termo define o tratamento igualitário que provedores de internet devem dar aos pacotes de dados trafegados pela rede e ficou famoso no Brasil por estar presente no Marco Civil da Internet, que entrou em vigor em junho. Porém, para destravar a discussão sobre a lei, o governo negociou deixar a questão em aberto.

Nessa discussão estão sendo abordados temas como pacotes de internet que não tarifam o acesso a Facebook, Twitter e WhatsApp, assim como a cobrança adicional a provedores de conteúdo que não queiram ter seus serviços transmitidos a baixas velocidades. Nos EUA e na Europa o debate já está em andamento, já que o presidente Barack Obama é um defensor da neutralidade.

Agência RS desenvolve novas funções para o site do escritório de advocacia SOUZA SCHNEIDER
Segurança digital: uma necessidade cada vez mais presente

Comentários

comments

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

Close
Please support the site
By clicking any of these buttons you help our site to get better